18/08/2011

Mudança Constante


Egoísmo. Simplicidade. Encantamento. Revolta.
Tudo anda tão intenso e intacto em mim.
Não sei muito bem se está acostumado com tamanha movimentação.
Mas hoje, não sei se posso ser a mesma de ontem.

Mudo constantemente porque o tédio me consome. Me devora.
Como qualquer paixão de novela. Como qualquer meio sorriso.
Egoísmo. Simplicidade. Encantamento. Revolta.
Não se engane, talvez seja apenas uma fase. Daquelas fases cheias de doçura.

Minha pele está adaptada. Meus olhos já não se surpreendem.
Parei de pensar que sou apenas uma. Isso me incomoda muito.
Sou eu, você e os demais.
Sou até quem não imagina, mas isso é útil, acredite em mim.

Enquanto você. Tão comum. Tão seco.
Tuas mãos são quase como imperceptíveis.
Teu toque é sempre o mesmo.
Sua personalidade é quente em um nível que embora alto, seja bem abaixo do meu.

Não passas de uma traição meio torta. Meio simples demais.
É por isso que teus olhos carregam todo esse mel.
Porque você é como uma quantia exata. Como o último cheiro de chuva.
Deixe-me então inconstante. Tente misturar teu tédio com minha  mente embaralhada.
Porque tu não passas de um só. Não passas de uma traição meio torta.
Talvez até seja meio simples demais.



3 comentários:

Ana Carolina Lima Da Rosa disse...

adorei o poema =*

Lara Vic. disse...

lindo poema, adorei *-*

Gabriele Santos disse...

realmente existem pessoas que são fórmulas exatas, apenas precisam de uma equação para que possam ser decifradas.
Mas se somos inscontantes e multifacetadas devemos nos assumir assim.
parabéns e sucesso com o blog.

Postar um comentário

Comentários